Crescimento pessoal

11/06/2014 13h21

O poder das afirmações positivas

Artigo questiona o verdadeiro efeito desta prática tão disseminada

Por Flavia Melissa - Bioenergia, Saúde e Desenvolvimento Pessoal

FLAVIA MELISSA/ DIVULGAÇÃO/ NBE
Afirma%c3%a7%c3%b5es positivas

Tudo é possível desde que você acredite no que faz

Muito tem se ouvido falar a respeito das afirmações positivas e são bastante variadas as opiniões a respeito delas e do quanto realmente elas podem mudar a vida de uma pessoa para melhor. Há quem diga que elas não passam de uma brincadeira de Pollyana, personagem famosa por sempre procurar enxergar o lado bom daquilo que estava vivendo, por maior que fosse o desafio e a dor que enfrentasse. E há quem não hesite em afirmar que dizer coisas positivas e possibilitadoras a respeito de si mesmo e da própria vida teve, indiscutivelmente, um efeito benéfico avassalador sobre suas experiências e vivências. Afinal, quem está com a razão? E qual é o verdadeiro efeito das afirmações positivas sobre a vida de uma pessoa?

As afirmações positivas ficaram famosas e ganharam os quatro cantos do mundo através de Louise Hay, sua maior porta voz e maior defensora da ideia de que aquilo que dizemos e pensamos influencia diretamente na qualidade de nossas experiências e de nossa vida cotidiana. Louise, que ficou famosa pela autoria do livro “Você pode curar sua vida”, curou-se de um câncer sem a ajuda da medicina convencional e desde então tem dedicado sua vida a ensinar às pessoas que as enfermidades são reflexos de padrões de comportamento, muitas vezes inconscientes, enraizados e emanados para o mundo. Assim, desenvolveu padrões positivos de pensamentos que passou a difundir em inúmeros seminários e workshops que ministra desde então.

A PNL (Programação Neurolinguística) é um modelo de compreensão do funcionamento mental dos seres humanos baseado na ideia de interação entre mente, corpo e linguagem na criação de uma percepção absolutamente individual do mundo, percepção esta passível de ser alterada através da aplicação de uma variedade de técnicas. E possui alguns pressupostos básicos bastante interessantes de serem levados em consideração quando pensamos a respeito das afirmações positivas.

O Terceiro Pressuposto Básico da PNL afirma que “Se uma pessoa pode fazer algo, todos podem também, caso comportem-se da mesma forma de que quem o consegue”. Ou seja, ninguém é incapaz de absolutamente nada; se formos atentos aos padrões de comportamento de pessoas bem-sucedidas em determinadas ações, e reproduzirmos seus comportamentos, também o seremos bem-sucedidos nestas mesmas ações. E pensar, por incrível que pareça, é um comportamento. Nossos padrões de pensamento nada mais são do que padrões de comportamento, alguns ocorrendo de modo tão automático que mal somos capazes de perceber quando é que um pensamento começa. Mas se reproduzirmos os pensamentos de alguém que consegue fazer algo, também conseguiremos.

Já o Quarto Pressuposto Básico afirma que corpo e mente são partes do mesmo sistema e que, desta forma, tanto os pensamentos alteram a fisiologia do corpo como a fisiologia do corpo é capaz de alterar a qualidade dos pensamentos. E se formos analisar o terceiro e o quarto pressupostos em uma mesma “bacia”, somos capazes de perceber o quanto a questão do que pensamos interfere na qualidade de nossas escolhas e, por consequência, na qualidade de nossas próprias experiências de vida.

Peguemos o caso de uma pessoa que experimenta e vivencia uma vida amorosa feliz e satisfatória, que recebe e dá amor livremente e que se sente serena e confiante em seu relacionamento afetivo. Agora imagine a qualidade dos pensamentos desta pessoa. É muito provável que esta pessoa tenha pensamentos do tipo “sou merecedora de amor”, “tenho confiança em meu parceiro” ou “sinto-me tranquila e serena em meu relacionamento afetivo”. E estes pensamentos alteram a fisiologia do sistema, potencializando os sentimentos de bem-estar e de felicidade, elas próprias criadoras dos pensamentos de qualidade positiva.

Por outro lado, se pegarmos como exemplo uma pessoa que experimenta uma condição oposta no que se refere à vida amorosa, é bastante provável que a qualidade de seus pensamentos seja diferente. Ela pode ter pensamentos do tipo “nunca vou conseguir me sentir feliz afetivamente”, “não posso confiar em pessoas do sexo oposto ao meu” ou “todos os relacionamentos afetivos acabam trazendo tristeza e dor a quem se permite vivenciá-los”. E, da mesma forma, estes pensamentos vão influenciar sua fisiologia, gerando sensações de desconfiança, insegurança e medo que, por sua vez, vão potencializar os pensamentos negativos… E assim por diante, em um ciclo vicioso que se repete, infinitamente.

As afirmações positivas servem, neste contexto, como “rotas de fuga” aos padrões negativos cristalizados e absolutamente automáticos que por vezes se repetem sem que nem sequer o percebamos começando. E, utilizadas de modo consciente e treinado por repetidas vezes, vão alterar a fisiologia do sistema potencializando a geração de sentimentos bons e agradáveis ao invés dos negativos, que seriam a resposta automática do corpo ao funcionamento de uma mente baseada em padrões negativos de pensamentos.

Crenças determinam comportamentos. E, por mais que as afirmações positivas possam parecer mentiras que você esteja contando a si mesmo e que não expressem, em um primeiro momento, aquilo que você verdadeiramente pensa sobre si mesmo e sobre a vida, experimente vencer as resistências de sua mente e faça um experimento. Repita, em voz alta, para si mesmo estas duas frases:

1. “Eu me odeio. Sou um ser humano desprezível, que não merece o amor das outras pessoas”.

2. “Eu me amo. Sou um ser humano cheio de qualidades e plenamente merecedor do amor dos outros”.

Qual das duas frases gera em você um sentimento mais positivo? Qual das duas frases faz nascer, dentro de você, maior fé e confiança de que coisas boas acontecerão com você, dias após dias? Qual das duas frases você acha que é mais possibilitadora? Qual delas você acha que, se repetir dezenas de vezes por dia, vai contribuir para que você faça escolhas e tome decisões que te aproximem da vida que quer viver um dia? E o que você acha que aconteceria se todos nós nos policiássemos um pouco mais e, quando assolados por pensamentos negativos, simplesmente os substituíssemos por pensamentos possibilitadores?

“Se o que você está fazendo não está funcionando, faça qualquer outra coisa”, diz o Nono Pressuposto Básico da PNL. “A maior insanidade que existe é continuar agindo da mesma forma e esperar obter resultados diferentes”, disse Albert Einstein. Cabe a cada um de nós avaliar, a cada dia, se a qualidade de nossos pensamentos está nos aproximando ou afastando do que desejamos experimentar enquanto realidade. E, caso não esteja, cabe a nós mudar.

Simples assim.

X